Cidade de Chegada: A migração final e o futuro do mundo

Cidade de Chegada: A migração final e o futuro do mundo

Editora: DVS
Por R$55,20    Preço original: R$69,00 ( 20% OFF )

A migração final e o futuro do mundo
Saiba mais

Título Cidade de Chegada: A migração final e o futuro do mundo
Editora DVS
Tipo Livros
Dimensões 16x23
Páginas 404
ISBN 9788582890226

A migração final e o futuro do mundo

Cidade de Chegada

A migração final e o futuro do mundo

Atualmente, e pela primeira vez na história, existem mais pessoas vivendo nas cidades que na zona rural. Todos os meses, o mundo urbano ganha cinco milhões de novos moradores, e mantida essa taxa, isso irá expandir sua população citadina em 3,1 bilhões nas próximas quatro décadas. Mais do que nunca, as pessoas dos vilarejos e das zonas rurais estão juntando as suas coisas e se mudando para as metrópoles, lá elas criam o que denominamos “cidades de chegada” – agrupamentos de moradores de vilarejos em distritos periféricos das cidades nos quais os residentes se esforçam para estabelecer uma nova vida e se integrar ao ambiente, social e economicamente. O objetivo desses indivíduos é construir comunidades, começar a economizar, investir e, frequentemente, deixar o local, criando novo espaço para a próxima onda de migrantes. Em Cidade de Chegada, Doug Sanders afirma que essa migração é uma das tendências mais importantes do século XXI. Trata-se de uma história que se desdobra diante de nossos olhos em diversas cidades do mundo, de Istambul a Toronto, de Varsóvia a Mumbai, de Nairobi a Shenzhen, e exerce profundo impacto sobre o sucesso das economias regional, nacional e internacional de cada país. Muitas dessas cidades de chegada e muitos de seus moradores são ignorados, negligenciados e/ou até intimidados e tratados com violência. Mas este é um grande erro. As cidades de chegada bem-sucedidas criam classes médias prósperas, já as fracassadas geram pobreza e problemas sociais. Saunders nos mostra como tais questões sociais nascem diretamente nas cidades de chegada malsucedidas, como ocorreu em Paris, em 1789, quando os migrantes se rebelaram contra a falta de alimentos e a pobreza, em Teerã, em 1978, quando a revolução começou com migrantes não islâmicos, e nos subúrbios de Paris e Berlim, onde milhares migrantes ressentidos lideraram violentas revoltas ou até mesmo defenderam o fundamentalismo islâmico. O segredo, segundo Saunders, está em compreender a oportunidade que essas cidades de chegada representam. Oferecendo aos seus moradores cidadania, a possibilidade de se tornarem proprietários de seus imóveis, melhor educação, sistemas de transporte e boa segurança, cidades como São Paulo, no Brasil, e Parla, na Espanha, assim como outros governos regionais e nacionais, conseguiram integrar seus migrantes de modo bem-sucedido. Conforme explora essas fascinantes macrotendências, Saunders emprega sua visão como ótimo jornalista que é aos detalhes humanos. Por meio de uma narrativa envolvente, permite que conheçamos famílias e indivíduos de Daca, em Bangladesh, ao Rio de Janeiro, no Brasil, passando pela periferia de Maryland, nos Estados Unidos da América (EUA). Suas histórias nos dão uma ideia concreta do mundo em que elas vivem. O que o autor vê ao analisar essas cidades de chegada não é uma condição estática que poderíamos simplesmente ignorar, nem mesmo se quiséssemos, mas, um ponto de intercâmbio onde algumas das mudanças mais importantes e surpreendentes do século XXI já estão ocorrendo.

Autor: Doug Saunders